O Espiritismo em nós

Leda de Almeida Rezende Ebner

de Ribeirão Preto, SP

A doutrina dos Espíritos é o farol que ilumina, continuamente, a estrada por onde devemos transitar para alcançarmos a felicidade.

Sempre que somos tentados a penetrar em algum atalho, a luz desse farol brilha mais intensamente, estimulando-nos a não fazê-lo. Muitas vezes, fechamos os olhos e nos deixamos guiar pelo que nos atrai, afastando-nos do caminho por ele iluminado, por fraqueza oriunda das nossas próprias imperfeições, mas ele, o farol lá está, sempre iluminando a estrada principal, facilitando o retorno.

Esse farol está dentro de nós, em conseqüência ao aprendizado dos ensinos espíritas, quando os entendemos e os aceitamos.

Com clareza e lógica, o espiritismo nos define o objetivo maior da nossa existência na Terra, que é o desenvolvimento espiritual através do estudo, do trabalho, da auto-educação e nessa definição do ideal a ser conquistado, é também o estímulo racional ao esforço perseverante dessa conquista.

Assim, o espiritismo nos dá a finalidade do nosso viver e a estratégia, o método, a maneira do como viver para alcançarmos o desenvolvimento possível.

Mostra-nos que não podemos nos tornar anjos, em poucos anos, mas devemos e podemos viver, visando o ideal da melhoria constante, dentro das nossas possibilidades reais, as quais costumamos subestimar.

O espiritismo define, com precisão, a responsabilidade de cada um no seu processo evolutivo. Sempre há a ajuda dos Espíritos desencarnados e encarnados, mas a decisão e a tarefa desse desenvolvimento pertencem a cada filho de Deus.

Destaca a importância do conhecer-se a si mesmo para o desenvolvimento das qualidades intrínsecas ao ser espiritual que somos, levando-nos à introspecção interior. Esta ação propicia-nos a perceber, com objetividade, nossos sentimentos, emoções, atitudes e comportamentos, levando-nos ao conhecimento de nós próprios.

A introspecção íntima, honesta, aliada ao esforço no bem, leva-nos a gostar de nós, a termos confiança em nossas possibilidades de aperfeiçoamento, reforçando a confiança em Deus e nas suas leis.

O espiritismo deixa bem claro que, por mais feio seja o nosso interior, o importante, no estágio evolutivo presente, é o esforço no bem, pelo bem e para o bem, ainda que não consigamos, muitas e muitas vezes, sair da intenção. Ainda assim, em havendo a vontade ativada no bem, estaremos percorrendo o caminho iluminado, que o é para facilitar o trabalho de aprendizado na Terra.

Quanto mais perseveramos nele, mais facilidade, mais aproveitamento teremos nas diversas experiências que a vida nos oferta.

O espiritismo nos dá uma maneira lógica e racional de interpretarmos o universo, a Terra e os seres que evoluem, continuamente, sob leis justas e sábias, para a perfeição e a felicidade.

Por mais difíceis sejam os percalços da existência de cada um e da sociedade, esta doutrina nos faz compreender que tudo é parte do processo evolutivo e todas as experiências concorrem para o progresso contínuo.

Aliás, aprendemos mais com os erros e desacertos, com as experiências desagradáveis do que com as certas e agradáveis, pois as primeiras, incomodando-nos, estimulam-nos ao esforço de para delas libertarmo-nos, levando-nos a acionar a vontade no uso de todas as nossas energias intelectuais e morais. Aprendemos, então, eliminar ou evitar as causas que as provocam.

O espiritismo dentro de nós incita-nos ao desenvolvimento dos sentimentos nobres e leva-nos ao esforço de perceber nos outros irmãos iguais a nós, filhos de Deus, também em processo evolutivo.

Essa constatação indica-nos, racionalmente, que se aceitamos Deus e o amamos, não podemos deixar de aceitar e amar a sua criação. E, na vontade de aceitar a todos como irmãos, vamos desenvolvendo o Amor em nós, síntese da lei divina, origem e destino da vida.

Deixemos pois, que o espiritismo, o consolador prometido por Jesus, penetre dentro de nós, dirigindo nossa inteligência e nossa sensibilidade para que nosso desenvolvimento espiritual aconteça internamente, expressando-se em nossas atitudes e comportamentos externos, mostrando a nós e aos outros, que ele, o espiritismo nos torna melhores pessoas.

(Jornal Verdade e Luz Nº 181 de Fevereiro de 2001)