Capacidade psíquica

Domério de Oliveira

de São Paulo, SP

Todos nós, na escala animal, temos uma determinada capacidade psíquica. Na esfera da capacidade psíquica, situa-se a intuição que é patrimônio do nosso Espírito e que nos possibilita fazermos um juízo de pressentimento ou de presságio. A intuição é aquela pancadinha que bate lá dentro de nós e que nos faz perceber as coisas antecipadamente. Às vezes, ouvimos ou percebemos antes de vermos. Na nossa existência cotidiana, quantas coisas que se nos antolham e depois chegam a se consumar. Por exemplo, pensamos em alguém e, poucos minutos depois, toca o telefone e é justamente aquela pessoa em que estávamos pensando. Ao dirigirmos nosso carro, assoma-nos um pensamento repentino para mudarmos de pista e logo descobrimos que havia um acidente na pista em que nos encontrávamos. Quantas vezes pensamos em uma música e, logo depois ao ligarmos o rádio iremos ouvir aquela mesma música. Podemos dizer que a intuição faz parte do nosso sexto sentido. Em Grego, a palavra "Psíquico" quer dizer "da Alma". Quando utilizamos nossa capacidade psíquica, estamos nos sintonizando com a energia da nossa Alma. Sim, meus amigos, quando crianças, temos mais capacidade psíquica do que quando adultos, isso porque nosso Espírito não se encontra, ainda, tão arraigado ao nosso conjunto somático. Nestas condições, o Espírito tem mais ampla liberdade de pressentimento.

Já vimos uma criancinha começar a chorar, quando no colo de uma pessoa estranha, mas quando voltou ao colo da mãe, de imediato, parou de chorar. No colo de uma pessoa estranha, a criança capta vibrações que não se combinam com as suas, mas, quando retorna ao colo da mãe, por certo, capta vibrações mais harmoniosas. Sim, existe um Elo Psíquico muito forte entre a mãe e o seu bebê. Quantas premonições passam pelo Espírito de uma mãe quando em sintonia com o Espírito do seu filho. A propósito, contou-me um meu amigo que, quando Pracinha, nos campos de batalha da Itália, no momento em que foi atingido por uma explosão de uma granada, sua mãe, aqui no Brasil, sentiu, claramente, aquele momento, como também, sentiu que o seu filho acidentado iria sobreviver.

Meus amigos, a capacidade psíquica também atua no mundo vegetal e no mundo animal. As plantas são extremamente sensitivas e geralmente vicejam lindamente quando sentem, ao seu derredor, um ambiente gentil e amistoso. Quem nos diz essa verdade é o Pesquisador Peter Tomkins no se famoso Livro "Vida Secreta das Plantas". Também os animais são conhecidos por contarem com a sua faculdade de percepção. Quantas vezes já observamos um cachorro esconder-se ou alegrar-se quando encontra determinada pessoa. Quando ocorrem catástrofes naturais, os animais, previamente, procuram um lugar mais seguro. Sim, os animais, nossos irmãos irracionais, possuem o instinto natural da preservação da vida. O nosso querido passarinho João de Barro, o pedreiro da Floresta, edifica sua casinha, com prudência e cautela. Faz a sua casa, com repartições internas, para proteger a sua prole da agressividade de outros pássaros. A casinha do nosso inteligente João de Barro tem a sua porta de entrada do lado em que não vem a chuva. Quando menino, ficava ao lado do meu saudoso Pai, no alpendre da nossa casa, no Sítio das Pedras. Era tempo de verão e de forte seca. Em frente, havia uma frondosa árvore conhecida na região como "açoita-cavalo". Então, às vezes, um gavião-carcará pousava no galho mais alto e começava a cantar. Então, meu Pai dizia: meu filho, esse gavião está anunciando chuva. E, de fato, dentro de poucos dias, começava a chover, para a alegria de todos nós. Sim, meus amigos, desde a criação, nossos irmãos animais sempre contaram com o seu sentido psíquico. A Bíblia registra a percepção extra-sensorial da jumenta Balaão. Deus, nosso Pai, nos concedeu esta faculdade intuitiva justamente para preservarmos o nosso Dom maior, ou seja o abençoado Dom da nossa vida.

(Jornal Verdade e Luz Nº 177 de Outubro de 2000)