O Que Devo Fazer?

Orson Peter Carrara

Esta pergunta é comum, muita gente a faz. Desnorteados com as dificuldades que a cercam e desejosos por algo fazer de bom em favor do ambiente em que estão, pois que despertos da importância de se tornar útil onde estejam, buscam resposta a esta inquietante questão. O que fazer? Como ocupar meu tempo de maneira útil?

Não é difícil responder: Faça o que goste de fazer. Realize aquilo que lhe dê prazer, utilize seu potencial, pois todos tem algo de bom a oferecer. Eu, por minha vez, descobri que gosto de escrever e falar. Estou por aí a escrever e falar continuamente. Outros, no entanto, sentem-se tímidos para aparições públicas. Ora, no entanto, são ótimos cozinheiros, excelentes com ferramentas, mecânica e outras utilidades.

Um dia desses, vi meu sogro fazer um cercado para prender o cachorro, com cobertura para proteger a casinha do cão. Admirei-lhe a capacidade, rapidez e habilidades que não possuo de jeito nenhum. Cheguei a dizer-lhe que tenho inteligência para escrever, enfrentar auditórios, mas não tenho inteligência para colocar uns mourões e fazer um cercado com alambrados, apertar arames e parafusos. Falta prática, convivência mesmo com essas ferramentas e serviços de tanta utilidade. Furadeiras, eletricidade, ferramentas, buchas ou canos e torneiras prefiro não enfrentar... Porém, trata-se de área essencial, onde muita gente habilidosa coloca sua inteligência para usar em favor da comodidade humana, embora sintam-se inibidos diante de um microfone. É a diversidade humana. Ainda bem, pois, nestas diferenças é que o mundo encontra tanta gente para realizar tanta coisa diferente ao mesmo tempo. O que um não faz outro faz...

Portanto, não se intimide. Você encontrará uma maneira de tornar-se muito útil. Fora do trabalho profissional, remunerado, quanta coisa não podemos fazer a título de colaboração, participação ou esforço voluntário?

Se você tem habilidade com doces, pães, alimentos em geral, ofereça esta habilidade para orfanatos, asilos ou mesmo famílias inteiras carentes ou até desnutridas. Se você é um profissional competente nesta área essencial de elétrica ou hidráulica, quanto não poderá fazer em favor de famílias inteiras. Se você lê bem, poderá fazê-lo em favor de analfabetos ou cegos. Outro dia encontramos um casal de cabeleireiros que nos domingos se oferece para cortar o cabelo de idosos e crianças pobres. Outros gostam de brincar com crianças, incentivá-las mesmo com escolas de futebol, natação, etc. Outros ainda adoram cuidar de plantas e frutas, animais ou aves. Já imaginou quanta coisa boa pode acontecer por aí. E vez por outra, vejo excelentes jardineiros ou eficientes mecânicos que com que habilidade dominam seus afazeres... E os professores ou gente acostumada a ensinar e outros ainda com o dom de contar histórias ou divertir o público?

E sabe o que é melhor nisto tudo? O trabalho espanta a depressão, as tristezas e outros males que atormentam a cabeça humana. Fazendo algo mais que simplesmente trabalhar pelo salário, você sentirá as alegrias de dar de si mesmo em favor do mundo. Busque seu caminho, você encontrará a felicidade.