Ainda a cidadania

Orson Peter Carrara

No artigo anterior analisamos alguns aspectos da cidadania. O assunto é fascinante porque essa vinculação dos cidadãos é capaz de alterar todo o panorama social do país. E ela, a cidadania, não é exclusiva para o aspecto da solidariedade social. O esforço deste jornal com o jantar que visar concretizar ações em favor da recuperação do prédio da velha Estação, somado ao apoio que tem recebido do jornalista Carlos Nascimento e diversos outros órgãos e pessoas interessadas na idéia, é um ato de cidadania.

A cidadania também está na iniciativa cultural, histórica. Todo esforço que se fizer pela dignidade humana é cidadania e a preservação histórica de documentos, patrimônios ou memórias da sociedade enquadra-se perfeitamente na dignidade e na promoção da pessoa humana. Ora, isto é fácil de entender...

Basta imaginar o trabalho de pioneiros em todas as áreas. Desprendimentos, lutas, dificuldades e ideais que abriram caminhos para que hoje se desfrute exatamente dessa história que é a soma dos fatos e registros. Tal preservação traz de volta o exemplo do passado, orientador das gerações atuais e futuras.

Por isso é importante que as cidades, os clubes de serviço ou lazer, as instituições, entidades educativas, órgãos públicos e mesmos por iniciativas individuais, lutem continuamente para promover a cultura, em todos os seus níveis. Cultura educa, orienta, exemplifica. Basta pensar na música, no teatro, na literatura.

Em Mineiros do Tietê e Dois Córregos, como em qualquer outra cidade, quantos exemplos marcantes não podem oferecer nossos professores e médicos, hoje aposentados? São cidadãos com grande experiência em sua área e que se convidados, tenho certeza, não se negarão a proferir palestras educativas e orientadoras para famílias, alunos e segmentos específicos. Falei em médicos e professores, mas quantos outros profissionais não sentiriam enorme prazer em oferecer a contribuição de sua experiência para formação ou resgate de nossa sociedade?

Ocorre que estão esquecidos. Falta a iniciativa de convidá-los. Organizar eventos simples que não exigem nada além de um microfone e algumas cadeiras organizadas. Na própria cidade e, portanto, sem custos maiores, que beneficiam toda a coletividade. E isto pode partir de uma escola, de uma instituição, de um órgão público ou de qualquer cidadão. Divulgar é essencial, mas também é simples, pois com a facilidade do rádio, o alcance é imediato.

Recentemente a união de entidades conhecidas de Mineiros do Tietê organizou um jantar com música ao vivo. Sucesso absoluto, especialmente pela simpatia do cantor Rodrigo, de Bauru. Depois veio o aniversário da rádio FM. Também com união de esforços. Ora, cidadania é isso.

Não é tão difícil assim. Basta a iniciativa.

A propósito de tudo isto, queremos agradecer organizadores, voluntários e a população pelo apoio nas duas iniciativas citadas. A instituição a que nos vinculamos foi bastante beneficiada e com isso prossegue suas ações de cidadania. Aliás, tal instituição estará completando 80 anos de fundação em 2003 (exatamente no dia 22 de março, um sábado). Basta ver o letreiro frontal na sede da entidade. Eis aí o esforço e trabalho de muita gente que possibilitou que a entidade alcançasse oito décadas. De lutas, sim. Mas, de muitas alegrias e ações no bem!

Voltamos ao assunto porque na matéria anterior esquecemos de um dado importante. Gostaríamos de indicar aos leitores da coluna o site www.cantocidadao.com.br. Trata-se de importante site sobre cidadania que o leitor não pode deixar de conhecer.